Depoimentos
  • Relato
    Estávamos nas etapas finais do nosso Trabalho de Conclusão de Curso sobre o papa Francisco quando recebemos um e-mail no qual o próprio papa Francisco sabia da existência de nosso Trabalho sobre ele.
    A sensação foi indescritível. Realmente até agora não sei como escrever sobre esta experiência que é única.
    O conteúdo da carta revela que Francisco é uma pessoa extremamente humilde, porque se desculpava por não poder nos ajudar. Demonstra carinho com estas linhas tão simbólicas.
    Carinho e acolhimento foi o que senti quando soube que papa Francisco estava sabendo de nosso trabalho.

    Vinícius Costa Pinto

  • Quando falamos pela primeira vez que seria interessante se tivéssemos algo próprio do papa Francisco para a nossa reportagem logo pensei que seria impossível. Se para conseguir entrevistas com pessoas próximas a ele foi difícil, imagine com ele. Tentamos com muitas pessoas... do Vaticano, amigos, irmãs; todos falaram que pela quantidade de trabalho que Francisco tem todos os dias ele não arrumaria tempos para dar atenção a um grupo de estudantes brasileiros. Além disso, outro argumento muito forte: se ele abrisse uma exceção para nós, teria que dar atenção também a outras pessoas, que, talvez, tivessem mais relevância do que estudantes brasileiros. A ficha caiu em agosto, quando eu a Irmã Viviani participamos do Mutirão Brasileiro de Comunicação, em Joinville. A palestra de abertura foi com o monsenhor Viganò, homem de confiança de Francisco. Pensei: se o papa não pode gravar um vídeo ou uma mensagem para todos os comunicadores do Brasil reunidos, imagina para quatro estudantes?
    Mas mesmo assim, não desistimos. Por meio de um amigo em comum, chegamos ao resultado. O homem, cuja identidade preservamos, tem o e-mail pessoal do papa, e já havia se comunicado com ele via internet algumas vezes. Convencemos ele a mandar um e-mail para Francisco contando do nosso trabalho e pedindo se, por acaso, ele poderia gravar alguma coisa. Em menos de 24 horas, a resposta. “Sigam adiante”. As duas palavras que tivemos dentro de nós ao persistir na busca por esse objetivo foram confirmadas pelo próprio papa.

    Pedro Henrique Colatusso

  • Relato
    Eu sempre tive grandes sonhos na minha vida. Alguns grandes demais. Com muito esforço, dedicação e empenho e claro, com a ajuda de Deus, tenho conseguido realiza-los. Ter um contato com o papa Francisco foi um desses meus grandes sonhos nesses últimos meses. Um sonho ambicioso sim, mas não impossível. Em meio a tantos pedidos, a tantas solicitações de entrevistas, e-mails, e entre tantos compromissos, o santo padre reservou alguns minutos para escrever um e-mail especialmente para nós! É uma sensação inexplicável, saber que o papa Francisco, das multidões, do povo, dos jovens, escreveu um e-mail especialmente pra nós e ainda por cima, dizendo que estará rezando por nós. Agora, ele sabe de nossa existência, sabe o quão inspirador ele é pra nós e para todas as pessoas que ouvimos para que pudéssemos compor esse multiperfil dele. Ter um contato assim, tão próximo com Francisco, prova para mim e para qualquer pessoa que os sonhos, por menores ou maiores que sejam, possíveis de serem realizados e de que eu tenho ainda mais certeza de que Deus e o papa abençoaram o nosso trabalho!

    Andrey princival Gabardo

  • Relato

    Para mim o dia 2 de outubro é uma data inesquecível. Fazer um Trabalho de Conclusão de Curso sobre a pessoa do papa Francisco e receber como presente um e-mail exclusivo dele não tem preço. Ao abrir a minha caixa de e-mail e ler: “Resposta do papa Francisco”, simplesmente não quis acreditar. Fiquei muito feliz. Abri e li muito rápido e saí pelos corredores da minha casa a procura de alguém para dar esta notícia. Era muita emoção. Senti-me muito próxima do papa Francisco. Pensei: Ele sabe quem eu sou, leu meu nome, ficou sabendo do nosso trabalho. Nós conseguimos.
    Senti-me muito importante. O papa dedicou um tempo do seu dia para escrever para nós. Nesta sua atitude fiquei deslumbrada com a humanidade e a sensibilidade dele. Imagina, o papa se justificando porque ele não poderia atender a demanda que havíamos pedido a ele, que seria gravar um vídeo para o nosso trabalho. Ele precisava fazer isto? Não. Mas fez. Explicou que estava com uma demanda de trabalho e que não seria possível atender o nosso pedido. Muito humano! Muito gente!
    Após ter contado às pessoas sobre o e-mail, ouvi inúmeros parabéns por esta conquista. Em seguida fui descobrir o significado de uma palavra em espanhol que ele escreveu que me deixou intrigada. Ilusión era a expressão. O papa colocou que se alegrava em ver jovens que trabalham com tanta ilusión. Pensei, na tradução literal seria ilusão para o português e neste caso seria uma palavra depreciativa. Mas não, descobri que ilusión é uma palavra bela, que pode significar esperança, utopia, sonho, alegria, entusiasmo, etc. Fiquei mais feliz ainda. Senti uma confirmação e uma alegria profunda ao ler: Sigam adiante. Minha admiração pelo papa Francisco só aumentou depois deste gesto, pois ele comunica Jesus com sua vida, suas atitudes e palavras.

    Irmã Viviani Moura

Copyright © Redes de Francisco. Todos os direitos reservados.